segunda-feira, 22 de abril de 2019

RECOMENDAÇÃO DE SALVADOR

      Compartilhamos a Recomendação de Salvador 2019, documento patrimonial de conhecimento público com o intuito de favorecer os processos e as políticas de Educação Museal, acordados em assembleias pretéritas, garantidas em marcos legais e documentos do campo. 

       Nesse sentido, pretendemos incidir em benefício da Política Nacional de Educação Museal (PNEM), favorecendo o Encontro Nacional de Educação Museal, a Associação Nacional de Educadores Museais e o Conselho Consultivo da PNEM. Em âmbito estadual, a missão é reativar o Plano Estadual de Cultura da Bahia, em letargia, desenvolvendo sistema de monitoramento e avaliação da política setorial de museus.


RECOMENDAÇÃO DE SALVADOR
Encontro Baiano de Educação Museal
Salvador, 20 a 22 de março de 2019


             Aos 22 de março de 2019, o comitê gestor da Rede de Educadores em Museus da Bahia (REM-BA), em sessão plenária, com apoio do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), do Museu Carlos Costa Pinto, da Fundação Gregório de Matos (FGM), do Museu da Misericórdia, do Núcleo de Ofiologia e Animais Peçonhentos da Universidade Federal da Bahia (Noap/UFBA), da Tecnomuseu e das Redes de Educadores em Museus de Goiás, do Maranhão, da Paraíba, do Rio de Janeiro e de São Paulo, bem como da REMUS - Rede de Museus da Universidade Estadual de Feira de Santana e Rede de Museus e Pontos de Memória do Sul da Bahia; em conjunto com o coletivo advindo das diversas macrorregiões brasileiras, resolve publicizar essas recomendações com o intuito de favorecer os processos e as políticas de Educação Museal, acordados em assembleias pretéritas, garantidas em marcos legais e documentos do campo, fazendo as seguintes considerações e recomendações:


1. Considerando o art. 215 da Constituição Federal de 1988, que garante a todos o pleno exercício dos direitos culturais e acesso às fontes da cultura nacional;
2. Considerando a Emenda Constitucional n.º 71, de 29 de novembro de 2012, que acrescentou à Constituição Federal o Artigo 216-A, instituindo o Sistema Nacional de Cultura;
3. Considerando a Lei n.º 12.343, de 2 de dezembro de 2010, que instituiu o Plano Nacional de Cultura (PNC) e criou o Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais (SNIIC);
4. Considerando a Política Nacional de Museus (PNM, 2003), a Lei 11.904 de 14 de janeiro de 2009, que instituiu o Estatuto de Museus e considerando o Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM, 2010);
5. Considerando a Lei n.º 13.193, de 13 de novembro de 2014, que aprovou o Plano Estadual de Cultura da Bahia, cuja Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Dimus/Ipac) foi apontada como responsável pela Política Setorial Estadual de Museus;
6. Considerando a recomendação da UNESCO de 2015 referente a proteção e promoção dos museus e coleções, sua diversidade e seu papel na sociedade;
7. Considerando a Portaria Ibram n.º 422, de 30 de novembro de 2017, que dispôs sobre a Política Nacional de Educação Museal (PNEM);
8. Considerando o papel protagonista das Redes de Educadores em Museus, organizações voluntárias e informais, surgidas da vontade e necessidade de educadores museais articularem-se e realizarem atividades de formação, troca de experiências e debates sobre práticas e teorias, bem como sobre assuntos pertinentes ao campo, conforme explicitado no Caderno da PNEM publicado pelo Ibram no ano de 2018;
9. Considerando as finalidades das REM’s, de elaborar, implementar, avaliar e reivindicar ações e políticas específicas para o campo, atuando como espaço de debate político e de formação para os educadores;
10. Considerando que as REM’s representam a capacidade de organização, de formação, de demanda e de trabalho coletivo em colaboração, apontando lacunas nas políticas públicas no setor da Educação Museal e propondo soluções para elas, com a missão de ter a responsabilidade e o compromisso com a luta por uma Educação Museal consolidada, emancipadora e para todos.


Recomendamos:

1. Consolidar uma articulação nacional das REMs organizando a estrutura e composição da REM Brasil;
2. Realizar Encontros locais de Educação Museal organizados pelas REMs, no sentido de colaborar com os debates de construção do I Encontro Nacional de Educação Museal que vai ocorrer no âmbito do 8° Fórum Nacional de Museus;
3. Elaborar coletivamente, a partir da REM Brasil, carta de intenções a ser entregue ao IBRAM com objetivo de colaborar com a construção e realização do I Encontro Nacional de Educação Museal;
4. Debater entre as REMs a possibilidade de criação de uma Associação Nacional de Educadores Museais, com vistas ao fortalecimento da profissionalização da educação museal e do campo;
5. Conclamar as REMs para elaborar uma proposta de conformação para o Conselho Consultivo da PNEM, pensando em sua estrutura, objetivos, garantindo a participação das REMs em sua constituição;
6. Reativar o Plano Estadual de Cultura da Bahia, elaborado de forma participativa e colaborativa, por meio das conferências de cultura e demais tecnologias sociais, que se encontra em estado de letargia, prejudicando a política setorial de museus e, por conseguinte, a de Educação Museal;
7. Promover a criação de um sistema de monitoramento e avaliação constante das políticas culturais no âmbito da Dimus/Ipac, mormente as que dizem respeito ao campo museal baiano, possibilitando diagnósticos precisos e tomada de decisões que favoreçam suas implementações;
8. Promover a inserção de componentes curriculares acerca da Educação Museal nas graduações e programas de pós-graduação em Museologia, Pedagogia, licenciaturas e áreas afins, formando profissionais sensíveis à temática;
9. Contemplar a Educação Museal na elaboração do Plano Municipal de Cultura de Salvador.


Assinam:
Alexandra de Lima Cavalcanti
Aline Miranda e Souza
Andressa Lima Batista
Camila Françoso Rosso
Carina Cazé
Diretório Acadêmico de Museologia Musas da Resistência
Edenberg Lima Neres
Fernanda Castro
Igor Alexander Nascimento de Souza
Leane Cristina Ferreira Gonçalves
Lucas Mahacri dos Santos de Oliveira
Maria de Lourdes Nery Mendonça Souza
Maria Helena Guimarães Carvalho Tavares
Marielle Gonçalves
Milla Silva
Mona Nascimento
Mônica Musa Afonso
Rafael Vinícius Almeida Vilas Boas
Rafaela Almeida
Taís Valente
Thanity Silva de Andrade
Thiago Consiglio

Notícias do EBEM

         Hoje, 22 de abril de 2019, é um dia muito especial para nós. Há exato um mês encerramos o Encontro Baiano de Educação Museal, um sonho realizado sem nenhum recurso financeiro, somente com o apoio dos amigos e das instituições parceiras, sem as quais não conseguiríamos fazer esse grande evento, portanto, reforçamos nossos agradecimentos ao Museu Carlos Costa Pinto, à Tecnomuseu, ao Museu da Misericórdia, ao Núcleo de Ofiologia e Animais Peçonhentos da Bahia/UFBA, à Fundação Gregório de Mattos, ao Instituto Brasileiro de Museus e aos membros e simpatizantes da Rede de Educadores em Museus da Bahia.
       Em celebração, aproveitamos o mensário para compartilhamos o relato do EBEM e o registro fotográfico dos três dias, assim como seu principal produto, a  Recomendação de Salvador 2019, documento patrimonial de conhecimento público com o intuito de favorecer os processos e as políticas de Educação Museal, acordados em assembleias pretéritas, garantidas em marcos legais e documentos do campo. Nesse sentido, pretendemos incidir em benefício da Política Nacional de Educação Museal (PNEM), favorecendo o Encontro Nacional de Educação Museal, a Associação Nacional de Educadores Museais e o Conselho Consultivo da PNEM. Em âmbito estadual, a missão é reativar o Plano Estadual de Cultura da Bahia, em letargia, desenvolvendo sistema de monitoramento e avaliação da política setorial de museus.

















terça-feira, 12 de março de 2019

Inscrição para Monitores


O Encontro Baiano de Educação Museal (EBEM) abre inscrições para monitoria do Evento, no período de 20 a 22 de março de 2019, a se realizar no Museu Carlos Costa Pinto, Salvador, Bahia.

Dos Requisitos:
- Ser estudante de graduação interessado no tema "Educação Museal"
- Ter disponibilidade de no mínimo 10 horas - 2 turnos (ex. 8h às 13h; 13h às 18h)
- Estar inscrito como ouvinte e/ou apresentador do Evento

Da Inscrição:
- Enviar um texto de intenção de monitoria de 5 linhas
- Enviar comprovante de matrícula
- Enviar disponibilidade de no mínimo 10h (2 turnos)

Da EBEM:
- Compromete-se em disponibilizar todas as orientações do trabalho de monitoria
- Compromete-se em disponibilizar um crachá de monitoria, assim como o kit do participante, incluindo a programação do Evento
- Compromete-se a entregar certificado de monitoria.

Inscrições pelo link: https://goo.gl/forms/6UCZGWHlCbKpl2By2

Programação do Evento





domingo, 17 de fevereiro de 2019

ERRATA - LISTA DE TRABALHOS APROVADOS

Prezad@s,

Disponibilizamos novamente a Lista de Trabalhos Aprovados com a inclusão do trabalho:


1.      Educação Museal: Investigando a Mediação em um Museu de Ciências Itinerante

que, equivocadamente, não  havia  sido incluído  na lista.

Para ter acesso à lista retificada clique aqui.

sábado, 16 de fevereiro de 2019

ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA OUVINTES




Estão oficialmente abertas as inscrições para participantes ouvintes do Encontro Baiano de Educação Museal.

Para fazer sua inscrição basta preencher o formulário disponível nesse link:




COMISSÃO AVALIADORA

É com muito orgulho que apresentamos a Comissão Avaliadora dos trabalhos do EBEM.



Átila Tolentino

Graduado em Letras e especialista em gestão de políticas públicas de cultura pela Universidade de Brasília. Mestre em Sociologia pela Universidade Federal da Paraíba. É da carreira de Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental do Ministério da Economia. Atuou na área do patrimônio e museus no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Integrante da Rede de Educadores em Museus da Paraíba.









Fernanda Castro

 Licenciada em História (2005), Doutora em Educação (2018). Educadora no Museu da Chácara do Céu e no Museu Histórico Nacional/IBRAM. Coordena a linha de pesquisa “Educação museal: conceitos, história e políticas” do MHN/CNPq. Integra o Comitê Gestor da REM/RJ (2014-2019). Integrou a Equipe da PNEM (2012-2018).












Marielle Gonçalves


Licenciada em Artes Plásticas e Letras pela Universidade de Brasília. Técnica em Assuntos Educacionais no Instituto Brasileiro de Museus – Ibram. Chefe da Divisão de Educação da Coordenação de Educação e Museologia Social - Comuse / Departamento de Processos Museais – DPMUS / Instituto Brasileiro de Museus – Ibram.

TRABALHOS APROVADOS

 Comissão Organizadora do EBEM tem a maior satisfação em divulgar a lista dos trabalhos aprovados para Comunicação Oral no evento.

Para ter acesso à lista de Trabalhos Aprovados clique aqui.

Recebemos um total de 29 trabalhos, entre artigos e relatos de experiência, que foram avaliados pela Comissão Avaliadora composta por:
Átila Tolentino, Fernanda Castro e Marielle Gonçalves.
Os trabalhos foram avaliados pelo método “Double Blind Review”: quando cada envio é avaliado por pelo menos dois membros da comissão, sendo encaminhado a um terceiro em caso de divergência.
Os autores dos trabalhos aceitos receberão em breve Carta de Aceite acompanhada de orientação para a inscrição e as apresentações. Já aqueles que não foram aprovados, receberão email com parecer dos avaliadores.
As apresentações acontecerão nos dias 21 e 22 de março, no Auditório Antônio Carlos Magalhães do Museu Carlos Costa Pinto, a partir das 9h.
A Comissão agradece imensamente a todos que enviaram trabalhos e deseja a todos um excelente evento.



quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Conheça o tema do EBEM




A comissão organizadora do Ebem, composta pelo Comitê Gestor da REM-BA e representantes da Fundação Gregório de Mattos (FGM), do Núcleo Regional de Ofiologia e Animais Peçonhentos da Bahia (Noap/UFBA) e do Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca/UEFS), após reuniões, definiu o tema do Encontro, que será “Museus em Chamas: versos e reversos de como chegamos até aqui”.

A ideia inicial foi chamar a atenção para a situação atual da política museológica nacional, marcada pelo sinistro do Museu Nacional, mas também pelas Medidas Provisórias n. 850 e 851, que autorizam o Poder Executivo federal a instituir a Agência Brasileira de Museus (Abram) e a administração pública a firmar instrumentos de parceria e termos de execução de programas, projetos e demais finalidades de interesse público com organizações gestoras de fundos patrimoniais, obstaculizando perenemente o Ibram (Instituto Brasileiro de Museus), autarquia responsável pela política setorial de museus, incluindo a PNEM (Política Nacional de Educação Museal).

Confrontar a Política Nacional com a realidade estadual também foi um imperativo, tendo em vista a existência de um Plano Estadual de Cultura em adormecimento, desfavorecendo o campo museológico na Bahia, outrora em ascensão. Fazemos votos de que a socialização das produções acadêmico-científicas, relatos de experiências educacionais e afins, no campo do ensino, da pesquisa e da extensão que forem apresentadas no Ebem possam, de alguma forma, favorecer a Educação Museal na Bahia, subsidiando a política museal baiana.

Local do EBEM



Fechamos uma parceria importante para o nosso Encontro e já podemos divulgar o local que iremos ocupar durante o EBEM.
O Museu Carlos Costa Pinto será o palco das intensas discussões que esses três dias prometem!!

O museu fica no Corredor da Vitória localizado na Avenida Sete de Setembro, em Salvador, Bahia, Brasil. É uma fundação/ instituição cultural particular mantida através de convênio com o Governo do Estado da Bahia.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

PRORROGOU!!!

A Comissão Organizadora do Encontro Baiano de Educação Museal comunica que o prazo para submissão de trabalhos foi prorrogado até 15 de janeiro de 2019.

Envie o seu artigo ou relato de experiência e não fique de fora desse importante momento da Educação Museal da Bahia e do Brasil.

Acesso o link com o edital, confira as regras e participe.  EDITAL EBEM